Regiões com os maiores índices de roubo de carga no Brasil

No ranking mundial de roubos de cargas em rodovias o Brasil está em 8º lugar entre os mais perigosos.

No ranking mundial de roubos de cargas em rodovias o Brasil está em 8º lugar entre os mais perigosos. Quando analisamos o mapa de ocorrência de roubo de cargas, percebemos que as estradas de acesso às grandes cidades são de modo geral as mais violentas. Separamos alguns trechos com os maiores índices de assaltos em todo o país. 

Estradas do Estado de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais lideram o índice de roubo de cargas no país, detendo 81% de todas as ocorrências. Analisando a região Sudeste, o campeão de incidentes é o Rio de Janeiro, onde os registros chegaram a 41,39%, seguido por São Paulo, 39,39%, segundo pesquisa NTC & Logística realizada em 2018.

Segundo estudo realizado pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, trechos da BR 116 que liga Curitiba à São Paulo e Rio de Janeiro à São Paulo possuem alto risco para ocorrência de roubo de cargas. Além destes, os trechos da SP 330 (Uberaba – Porto de Santos) e BR-050 (Brasília – Santos) também apresentam altos índices de crimes.

Trechos com alto índice de roubos de cargas

O trecho entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro é considerado um dos mais perigosos e o mais movimentado do país, com alta incidência de roubos de carga. Esses roubos, além de prejudicar a segurança dos motoristas, aumentam as despesas para empresas transportadoras de mercadorias. 

Considerado um dos principais eixos rodoviários do país, a BR 101, com 4.650 km de extensão, que corta todo o litoral do Brasil entre o Estado do Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul, é marcada por contrastes. Há trechos bem sinalizados, duplicados e com câmera e trajetos com muitos buracos e pouca segurança. 

O trecho da BR 101 que está no Estado de Alagoas figura na lista dos mais perigosos, com atrasos em obras, fazendo que estrada apresente más condições de tráfego. Dessa forma, os motoristas reduzem a velocidade e, com isso, ficam mais vulneráveis a roubo. O perigo é maior durante viagens à noite, por isso, é recomendável não trafegar nesse período.

A região da BR 101 no Estado da Bahia também é considerado violento. O grande fluxo de viajantes, entre eles turistas que visitam feiras, acaba atraindo os assaltantes. Dirigir em comboio pode ser uma alternativa para inibir o crime, ainda assim é preciso ter cuidado, já que quadrilhas executam verdadeiras operações táticas para realizar assaltos nas estradas.

Minas Gerais é o Estado com a maior malha rodoviária do Brasil. Alguns trechos em território mineiro são bem vulneráveis a ocorrências de roubos, como a BR 365, que liga Minas à região Centro-Oeste do país. 

Os dados do mapeamento mostram que alguns dos trechos mais críticos do país estão na Rodovia dos Bandeirantes. São os quilômetros 90, 94 e 97, nestas áreas a visibilidade do motorista sofre com curvas e falta de iluminação, vegetação ladeando as estradas e às vezes névoa.

Na rodovia Dom Pedro – SP há uma alta taxa de roubos no trecho próximo ao bairro São Marcos, na altura da entrada do Aeroporto Campo dos Amarais, onde há pouca iluminação.

Na Rodovia Miguel Melhado Campos, conhecida como Vinhedo – Viracopos, as ocorrências são registradas principalmente na área do bairro Campo Belo.

Um dos piores trechos apontados foi do km 72 ao 75 da Rodovia Santos Dumont, De acordo com a Polícia Rodoviária, os bandidos sempre atacam com rapidez e brutalidade durante a noite.

Uso de tecnologia para monitoramento do veículo

As tecnologias de rastreamento atreladas  aos sensores e atuadores, criam situações imprescindíveis para que sua frota seja monitorada e rastreada a distância. Muitos dos sistemas que oferecem essa tecnologia podem proporcionar, via integração com os sistemas da empresa de gerenciamento de riscos, condições de planejamento inteligente com rotas e ponto de parada estabelecidos pela gerenciadora de riscos, sendo que esses foram definidos considerando as zonas de risco de roubo em cada trajeto. 

Além disso, é possível apontar as faixas de horários mais críticas, oferecendo subsídios para a tomada de decisão e a elaboração de estratégias eficientes de gerenciamento logístico.

A gerenciadora de riscos deve conhecer o cliente e os detalhes de sua operação para realizar o mapeamento dos pontos críticos, ou seja, regiões geográficas caracterizadas pela alta incidência e concentração de sinistros de roubo de carga, rotas, rodovias com alta incidência de acidentes, tipos de veículos e perfil dos motoristas. De posse destas informações, são definidos os procedimentos de gerenciamento de riscos, bem como equipamentos e controles das operações para mitigar os riscos de roubo de cargas.

A Skymark oferece um serviço apoiado em modernos processos, procedimentos, tecnologias de monitoramento, softwares de gestão, controles e planos de contingência para combater cada tipo de riscos. Conte com a Skymark Gerenciadora de Riscos para aumentar a segurança no transporte de cargas com recursos que permitem gerenciar os riscos de forma significativa. 

Fale com a Skymark 

Fale com o Comercial